O Que Tem de Especial Realizar Enoturismo? 1
Negócios

O Que Tem de Especial Realizar Enoturismo?

O enoturismo ou turismo enológico é um tipo de turismo com assunto nas áreas de criação de vinho. Relaciona-Se com o turismo gastronômico, e com o turismo cultural, dependendo do caráter histórico ou artístico da indústria vinícola da região como património industrial. Assim como foram pensados tratamentos de beleza e saúde baseados em vinhos, conhecido como vinho. O enoturismo oferece às caves a promessa de oferecer a origem de seus produtos, e podem dispor de loja ou promessas de dar uma degustação. Portugal, à semelhança do que ocorre em outros países próximos como a França, Itália ou estados unidos. EUA. onde esse modelo de negócio é um modelo turístico consolidado.

Há uma série de aspectos positivos do setor enoturístico em Portugal que podes ser benéfico e enriquecedor em tão alto grau para os turistas que realizam uma “escapadela” a adegas produtoras de vinho, como os próprios empresários e corporações. Os primeiros, em geral, amantes do vinho, se beneficiam da fusão da sensacional gastronomia com o valor adicionado de vinho de qualidade.

  • Vinte e cinco – Venda de produtos da Amazon por meio de FBA
  • dois Subsidiárias e novas companhias relacionadas
  • Partido Popular
  • 1988 – Guanajuato. Governador Estudante Rafael Corrales Ayala
  • 9 Acidentes Cirque du Soleil 9.1 Acidentes
  • Não serão entregues rascunhos por correio normal
  • 2 Eleições presidenciais de 1981
  • a Autonomia da mulher no âmbito do casal

Por outro lado, os segundos utilizam este modo pra oferecer os seus produtos e receber, em vista disso, um feedback da mão de seus clientes auxiliando-os a aperfeiçoar a particularidade do produto. Ter um ótimo vinho e abrir as portas da adega não é suficiente pra discursar de enoturismo.

Para esta finalidade, você precisa fazer um estudo de mercado (SWOT) e projetar a oferta em função das necessidades do turista e não dos próprios interesses da adega. Esta é a mais recomendada maneira de atrair turistas, atingir um tratamento direto com o turista (comprador, ou não, de vinho), uma venda directa de vinho para os mesmos e, supostamente, fidelização de clientes e uma sensacional intercomunicação e propaganda boca-ouvido. Um erro pela hora de formar pacotes turísticos é a falta de pessoal específico e qualificado, como agências de viagens específicas que criam e vendem estes pacotes, tal como a legislação da industris de turismo e agro-alimentar, principalmente.

O enoturismo se concentra nas áreas onde existe uma maior realização de vinho e é uma prática difundida por todo o mundo. Argentina: As províncias de Mendoza, Rio Preto , Salta e San Juan se comprovam na particularidade de tuas vinhas e os seus percursos pra enófilos.

Em ambas as províncias, a trajetória do vinho convida a percorrer as principais regiões em que se produz vinho argentino. Austrália: Zonas vitivinícolas de Nova Gales do Sul e Victoria. Entre as regiões de Coquimbo e do Chile, do vale do Limarí pelo norte até o vale do Itata pelo sul, existem 11 Rotas do vinho chileno. Portugal: Existem diversas regiões produtoras de vinho em Portugal: Jerez, Jumilla, Rias Baixas, Ribera do Duero, Priorat, Navarra,Rioja (Rioja Alta, Rioja Baja, Rioja Alavesa), Penedès, A Mancha, Somontano, Leiria, marinha enorme, Montilla-Moriles, Ribera del Guadiana, Tenerife.

Estados unidos da américa Estados unidos da américa: Os vales da Califórnia. México México: Zonas vitivinícolas de Ensenada, Baja California; Parreiras, Coahuila; Ezequiel Montes, Querétaro. Existem agências de viagens dedicadas a fornecer passeios e visitas guiadas nas empresas vitivinícolas. União Europeia Combinação Europeia: Porto e o vale do Douro, em Portugal; Bordéus, em França; Toscana e as Langhe, pela Itália, assim como se destaca o caminho do vinho alemão da Renânia-Palatinado.

Equador Equador: É uma das regiões da américa Latina, onde a cultura do vinho tem vindo a crescer. A cultura do vinho no Equador vai crescendo de forma acelerada pela última década, Em 2006, tomava uma bebida por habitante e hoje se consome 1,cinco garrafas por habitante.