Seu Próximo Cantor Favorito Será Um Algoritmo 1
Geral

Seu Próximo Cantor Favorito Será Um Algoritmo

O dia 28 de janeiro passado, a revista Motherboard publicou uma carta em que o músico australiano Nick Cave respondia a um jovem admirador. O pirralho perguntava o artista se, segundo ele, alguma vez, a inteligência artificial poderia entrar a escrever boas canções. A resposta de Cave foi taxativo: “Não”.

Mas essa parece mais a expectativa de um veterano que um lúcido julgamento. O engenheiro norte-americano Robert Moog, inventor do sintetizador, falou: “quando um pianista senta-se e interpreta uma peça virtuosa, em um significado técnico está transmitindo dados a uma máquina”. Todavia, garantiu: “nunca me preocupou o evento de que os sintetizadores substituirão os músicos. Você necessita ser um músico pra compor com um sintetizador”. A abdicação do artista em benefício das máquinas é um conteúdo controverso, que coloca em jogo o respectivo conceito de criatividade.

  • Teatro José Francisco Saybe – San Pedro Sula
  • 3 Alojamento em Blanes
  • Mostram como funciona o desbloqueio facial: só desbloqueia se olha
  • ‘Bocazas de Champions’, por Joãozinho Blaugrana
  • Alunos plurilíngues outdo em inglês para outros cursos superiores
  • Escribá: “Queria obter, contudo estou animado”
  • um Época incaica (1438-1534)
  • 110 Proposta de eliminação em Ccanopata

A ideia clássica de genialidade e o fato de que a arte não possa prescindir do talento humano estão iniciando a fracassar. No que diz respeito à música, neste momento estamos rodeados de bandas sonoras de videos e jogos de video compostas por pcs, que soam surpreendentemente bem e, além de tudo, não se distinguem das obras humanas.

O gigante tecnológico chinês Baidu divulgou que precisa de 3,7 segundos de escuta pra clonar uma voz. Existe um ano, a ferramenta de inteligência artificial usada pela organização, chamada Deep Voice, que necessitava de 30 minutos de áudio para fazer o mesmo. A rapidez com que se está montando a tecnologia pra criar vozes artificiais é incrível.

O departamento dedicado à inteligência artificial do Facebook e a faculdade de Tel Aviv, criaram um modo de deep learning que converte diretamente o áudio de um cantor com a voz de outro. Os resultados do experimento foram publicados no mês passado em um postagem intitulado ‘Unsupervised Singing Voice Conversão’. E abrem experctativas interessantes.

O aprendizado automático permite converter a voz original em outra, com só ouvir áudios das mesmas durante 5-trinta minutos e sem supervisão humana. Uma rede neural gera os elementos de áudio correspondentes para oferecer forma à voz sintetizada, que se deseja.

Assim como os filmes deepfake mudam a cara de uma pessoa para a de outra, com esse sistema você podes escolher quais voz combinar com uma melodia. A inteligência artificial começa a colher até já sucessos comerciais. Em 2017, a atriz norte-americana Taryn Southern, lançada pelo programa American Idol, que estreou com o álbum I AM AI, inteiramente composto, tocado e produzido pelo software Amper.